EM BUSCA DE SIGNIFICADO

 

Por Gustavo Bessa

 

Hoje acordei com aquela sensação de vazio. Você já passou por essa situação? A pessoa acorda e, sem mais nem menos, ela olha para o dia sem ter qualquer perspectiva em relação ao que fazer. Não que não existam demandas ou atividades; mas a pessoa simplesmente não consegue focar em coisa nenhuma. É uma sensação ruim e extremamente perniciosa pois, pouco a pouco, a sensação de vazio tenta influenciar os sentimentos, os pensamentos e a vontade. As pessoas que se entregam a esse tipo de sugestão tornam-se catatônicas! Elas perdem as boas emoções da vida, suprimem a habilidade de desenvolverem bons pensamentos e desistem de praticar boas ações. Essas pessoas se entregam à morte para morrerem silenciosamente sem motivo e sem causa.

 

 

Os jornais de ontem noticiaram o aumento do número de suicídios entre mulheres de 15 a 29 anos na cidade de São Paulo. Para o repórter do G1, o médico psiquiatra do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) Teng Chei Tung disse que o suicídio “está muito associado a quadros psiquiátricos, como depressão ou uso de drogas. Nas grandes cidades, a mulher tem mais chance de ter depressão, pois o estilo de vida urbano é sobrecarregado. A pressão é muito grande. A mulher tem de cuidar da casa, dos filhos e trabalhar. Isso tudo piora a condição de saúde mental.”[1]

 

 

Não tenho dúvidas de que uma das razões por detrás desses suicídios é a sensação de vazio. As pessoas sentem o vazio porque não conseguem encontrar o significado para a vida. Elas se entregam à correria do dia-a-dia, executam as tarefas que lhes são exigidas, submetem-se às pressões mais sufocantes, multiplicam os seus esforços para alcançar as metas; mas, no fim, não sabem muito bem porque estão se desgastando tanto. Será que o significado da vida é medido pela quantidade de relacionamentos que temos, pelo número de seguidores que possuímos, pelos elogios que arrancamos da das pessoas? Será que vivemos, trabalhamos e investimos o nosso suor e tempo para conseguir comprar uma casa maior, um carro melhor, uma roupa mais cara, um pacote de viagens mais exótico, um nome mais conhecido pela multidão? Será que o significado da nossa vida é dado pela nossa conta bancária? Pelos likes no Facebook? Pelos diplomas na parede? Pelos nossos trabalhos seculares ou ministeriais?

 

 

As pessoas se perdem no vazio quando medem a própria vida, que é um bem intangível e eterno, com essas réguas e padrões, que são tangíveis e passageiros. A pessoa irá se desesperar toda vez que medir aquilo que é eterno com uma régua passageira. Ela irá de angustiar porque verá que essas réguas nunca são grandes o suficiente! A vida é sempre maior do que quaisquer réguas que a sociedade à nossa volta nos oferece! A régua do trabalho não consegue apresentar o resultado correto para o significado da vida! A régua da conta bancária também não consegue apresentar um resultado satisfatório para o significado da vida! A régua dos estudos é falha! A régua da fama também não é adequada! A régua do trabalho ministerial também não é apropriada! O ser humano não possui réguas e padrões adequados para apresentar o tamanho do significado da vida. As nossas réguas são sempre muito curtas! Sempre falta um grande pedaço, que deixou de ser medido! Por isso, as pessoas, que só consideram os padrões de medição humano, se desesperam tanto e caem no vazio!

 

 

Certa vez, Jesus corrigiu os discípulos porque eles estavam usando réguas e padrões humanos para medirem o sucesso da vida. Eles haviam tido muito sucesso em uma viagem ministerial e, por isso, cheios de alegria, eles disseram: “Senhor, até os demônios se submetem a nós, em teu nome” (Lucas 10.17 – NVI). A alegria deles estava baseada no sucesso que haviam tido no trabalho realizado! Não é errado ter alegria por causa de um trabalho bem-sucedido. Devemos nos alegrar com as nossas vitórias sempre. Contudo, não podemos imaginar que o sentido da nossa vida está no nosso trabalho ou no sucesso. Não podemos medir o significado da nossa vida ou buscar a nossa identidade naquilo que fazemos! Por essa razão, Jesus docemente corrigiu a perspectiva dos discípulos, e disse: “Alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus” (Lucas 10.20). Jesus nos ensinou que ao invés de buscar a nossa identidade e significado da vida naquilo que é passageiro, devemos firmar a nossa identidade e basear o nosso significado naquilo que é eterno, a saber, Deus! “Alegrem-se porque seus nomes estão escritos nos céus”.

 

 

Eu fiz esse exercício essa manhã. Ao perceber a sensação de vazio aproximar-se de mim, voltei os meus olhos para o Senhor. Fui lembrado de que o meu significado não é dado pelo meu trabalho, meu conhecimento, meus estudos, minha conta bancária, meus sucessos ministeriais, minhas pregações, meus escritos, meus seguidores no Instagram, meus convites para pregar em algum lugar ou minha popularidade diante das pessoas. Todas essas coisas podem deixar de existir algum dia. Elas são passageiras e temporárias. Um dia, elas existem; mas no dia seguinte, elas podem deixar de existir. O Espírito Santo me relembrou que o meu significado é dado tão somente por aquilo que Jesus fez por mim, tornando-me Filho de Deus e, desde a eternidade, escrevendo o meu nome nos céus.

 

 

Aquilo que Deus fez por mim nessa manhã, quero transmitir a você. Olhe para você e entenda que quem dá o significado para a sua vida não é você mesmo ou aquilo que você faz (esqueça essas réguas e padrões de medição humanos), mas Deus e aquilo que Ele já fez por você! “Alegre-se porque o seu nome está escrito nos céus”.

[1] http://glo.bo/1MvvYh1

 

Fonte: http://www.diantedotrono.com/blogdosbessa/

Advertisements
Standard

Ao ler o Antigo Testamento não consigo entender mais qual o fundamento para que se fale que o “Deus do Antigo Testamento” era malvado e cisudo e o “Deus do NT” é amoroso e compassivo (quase o oposto do outro malvado). Será que o Deus do AT era malvado e intolerante mesmo?E todas as vezes que Ele demonstrou carinho e cuidado por um povo que não o adorava e o traia com outros falsos deuses? E Nínive que, mesmo sendo um povo inimigo de Israel foi socorrida e poupada por Deus de Seu próprio juízo? O que dizer das declarações de amor de Deus pela Israel adúltera no livro do profeta Oséias? 

E no novo testamento será que são só flores? E Ananias e Safira que foram fulminados? E Jesus sendo a pessoa que mais falou sobre o inferno detalhadamente? E todas as palavras duras? 

Jesus, Deus e o Espírito Santo são o mesmo Deus – que ama e tem misericórdia, mas que não suporta o pecado e imputa a punição devida, e que não muda e nem mudará.  

Acreditar que o Deus Antigo e o Novo Testamento são diferentes é se privar de enxergar toda a beleza, imutabilidade e santidade de Deus – em ambos os testamentos…

Standard

Cansada

Cansada da pequenisse instalada nas redes sociais. Cansada de ver gente desesperada por afirmação pessoal através de likes em baixo de uma foto. E de gente que se auto afirma importante (as vezes subconscientemente) quando acha que tem muitos seguidores (que na verdade sao apenas pessoas vazias que precisam de um clichê, de um escape da realidade, e acham que encontram isso ao puxar o saco de gente que nem conhece, implorando por atenção pra preencher seu vazio, e não sabe que nunca será preenchido dessa forma).

 Cansada de pseudofilosofias geradas em modinhas de internet, seguidas por uma enorme quantidade de adolescentes e adultos com cabeça de adolescente. Que ainda por cima nem sabe direito no que acredita, não estuda, não busca, nao se aprofunda. Apenas repete frases prontas e burras e ainda se acham os pensadores acima da razão. 😒 

Aliás, cansada de ver a minha geração entupida de gente que jah devia se portar como adulto, mas estão se portando como crianças irresponsáveis, vazias, rasas e imaturas. Se recusam a crescer. Que exemplo de adultos as crianças de hoje vão ter se os adultos agem como adolescentes? 
Cansada de ver gente gravando música traduzida porque dá dinheiro e faz sucesso. Onde foi parar o tempo em que as musicas eram geradas através de experiências e intimidade com Deus?  Eram exclusivas, cheias de pérolas preciosas e adoração verdadeira…. E ainda por cima a mesma mentalidade num circulo vicioso dentro de igrejas e ministérios. Uma música que produz emoção mas não produz mudança de vida.  Emoção durante a música não é presença de Deus. É euforia.  Se a emoção vier acompanhada de mudança de vida, convencimento da condição de pecador, mudanças de hábitos e santificação… aí sim, era presença de Deus. Quem sente a presença de Deus de verdade, nunca mais é o mesmo. Mas a gente vê aih essas multidões se reunindo e se emocionando com musicas produzidas com acordes que produzem emoção de propósito, e a galera sai das reuniões e continua vivendo a mesma vida sem transformação. E os “ministros” acham que tão cheios da unção mesmo quando tão vindo de uma sessão de fornicação antes de ministrar. E acha que tem unção só pq sabe produzir emoção musical nas pessoas. Triste.

Cansada de ver bandas e ministerios de louvor pra todos os lados que eu olho querendo imitar bandas famosas em vez de desenvolver identidade própria diante da chamada para esse ministério. Cansada de ver ministros de igrejas locais que só sonham com fama e acham que vão conquistar isso com perfeita técnica e por isso humilham os irmãos de ministério por pequenos erros e esquecem que Deus chamou todos para serem adoradores mas NÃO chamou todos para gravar CD. Se os ministérios locais amassem ser locais e vissem o ser local como a missão mais importante, dariam mais valor ao que tem e se importariam mais em buscar unção e união e vez do “som perfeito”, luzes e roupas e estilos que imitam ícones da mídia e celebridades. 

Cansada de ver gente que só quer ser próximo e buscar amizade de quem é popular e pode trazer algum tipo de status. Se Jesus tivesse vivido aqui no nosso tempo, essas pessoas certamente não seriam amigas de alguém sem beleza nem formosura, pobre humilhado e desprezado como Jesus. Que triste. 

Cansada de ver gente brigando por TUDO, se ofendendo por tudo e obrigando os outros a saberem de suas opinioes em tudo, mesmo em assuntos irrelevantes. Como se o fato de se ter uma opinião fosse motivo para expô-la sem pensar duas vezes. Rebeldes sem causa.

Não é a toa que a biblia diz que até um tolo se passa por sabio quando fica em silencio. 

Gente distorcendo frases soltas faladas em inocencia, pra fazer parecer que foi racismo, homofobia, xenofobia, preconceito…. Uma necessidade de ser o centro das atenções que faz com que, na tentativa de ser O HERÓI, distorce o que os outros falam pra  fazer  parecer que foi preconceituoso onde não existiu preconceito. Gente de cabeça pequena que não sabe ler nas entrelinhas. Heróis sem causa, heróis sem vítima.

Cansada de ver gente que tem tudo pra ser espetacular sendo arruinado pq quer parecer e agir como atores de Holywood, personalidades de reality shows…. É triste ver o brilho de toda uma geração apagado por eles mesmos tentando ser o que não são e se auto iludindo,  vivendo num mundinho raso e pobre que gira em torno de TV e internet. 

Standard